Obras inacabadas do Proinfância pautam reunião da CNM com presidente do TCU

 

A busca por alternativas que possam auxiliar os gestores a resolverem questões referentes ao volume de obras inacabadas esteve na pauta de um encontro com o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, no Tribunal de Contas da União (TCU), na tarde desta quinta-feira, 13 de setembro. O líder municipalista foi recebido pelo ministro Raimundo Carreiro que preside o Tribunal.

Aroldi pediu ao presidente do TCU para avaliar a situação desses Municípios, pois tem se tornado insustentável. “Nós estamos muito preocupados com esse problema”, disse o presidente da CNM. Atualmente, 394 cidades possuem obras de creches do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância) classificadas como inacabadas.

Por sua vez, o presidente do TCU reiterou que o diálogo está aberto e a CNM vai apresentar encaminhamentos no sentido de encontrar uma solução viável para os Municípios. Essa foi a segunda vez em menos de 30 dias que os ministros do TCU receberam o presidente da CNM. No mês passado, o líder municipalista tratou no tribunal demandas referentes aos recursos de precatórios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

Além do TCU, a CNM tem trabalhado essa pauta junto ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Na autarquia, a CNM buscou encaminhamentos relacionados às causas e às soluções de problemas de obras do Proinfância que estão inacabadas e paralisadas. Além disso, a Confederação debateu no FNDE o avanço físico das creches por Municípios de pequeno porte.


Por: Allan Oliveira
Foto: Allan Oliveira
Da Agência CNM de Notícias


Siga-nos nas redes sociais

BT Twitter Feeds