Licitar

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors
post

CGU aplica pena de declaração de inidoneidade a empresa que fraudou licitações da Valec

Egesa Engenharia S/A. foi responsabilizada por ter fraudado licitações públicas promovidas pela extinta empresa pública

Decisão do ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), publicada hoje (15/6) no Diário Oficial da União, aplicou sanção de declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública à empresa Egesa Engenharia S/A. A empresa foi responsabilizada por ter fraudado licitações públicas promovidas pela extinta empresa pública Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A. para a construção de lotes da Ferrovia Norte-Sul e da Ferrovia de Integração Oeste-Leste. 

A sanção decorreu de Processo Administrativo de Responsabilização (PAR) instaurado com base na Lei nº 12.846/2013 (Lei Anticorrupção – LAC) e reafirma o compromisso da CGU com a promoção da integridade pública. 

Conheça os termos da decisão 

A Egesa realizou acertos ilícitos com as demais empresas participantes das concorrências públicas, frustrando o caráter competitivo dos certames, além de ter realizado pagamentos de vantagens indevidas destinadas ao então dirigente da Estatal. Os fatos foram apurados em investigação conduzida pela CGU a partir de informações obtidas em acordo de leniência celebrado com pessoas jurídicas que estavam envolvidas no conluio.

Após a devida instrução processual, a empresa foi sancionada com a declaração de inidoneidade para licitar ou contratar, o que significa que não poderá participar de licitações promovidas pela Administração Pública ou celebrar contratos com o Poder Público pelo prazo mínimo de dois anos. Ela deverá, ainda, comprovar o ressarcimento dos prejuízos causados ao erário e a superação dos motivos determinantes da punição.

Também foi identificado o pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos no valor de R$ 122.000,00, pelo que o processo será encaminhado à Advocacia-Geral da União, responsável pela recuperação da referida quantia. 

A CGU ainda conduz processo específico em relação a mais uma empresa envolvida no caso.

Consequências 

Após o transcurso do prazo para apresentação de recurso da decisão, a empresa será inscrita no Cadastro Nacional de Empresas Punidas (CNEP) e Cadastro de Empresas Inidôneas e Suspensas (CEIS). 

Caso a empresa apresente pedido de reconsideração, o prazo para cumprimento das sanções será contado da decisão do recurso. Nesta hipótese, a inscrição no CNEP e no CEIS também só ocorrerá após a apreciação do pedido de reconsideração.

Saiba mais

Desde 2016 até o momento, a atuação da CGU em decorrência de processos de apuração de responsabilidade pelo descumprimento da Lei nº 12.846/2013 e de outras normas anticorrupção atingiu a marca de 106 empresas punidas, cujas penas totalizam R$ 812.988.134,42, e a pactuação de acordos de leniência com 25 empresas, que somam o montante de R$ 18.303.789.248,17.

Fonte: CGU Notícias

Comente o que achou:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas

CNM alerta para mudanças no CBO de agentes comunitários de saúde

CNM alerta para mudanças no CBO de agentes comunitários de saúde

Nos últimos dias, a área técnica de Saúde da Confederação Nacional de Municípios (CNM) vem recebendo ligações a respeito de dúvidas por conta da Portaria 1.546 da Secretaria de Atenção Especializada à

Vai à sanção projeto de lei que altera o Estatuto da Cidade reforçando a mobilidade urbana nos estudos de impacto de vizinhança

Vai à sanção projeto de lei que altera o Estatuto da Cidade reforçando a mobilidade urbana nos estudos de impacto de vizinhança

O Congresso Nacional enviou para sanção presidencial o Projeto de Lei 169/2020, que reforça no Estatuto da Cidade - Lei federal 10.257 de 2001 - a análise da Mobilidade Urbana nos Estudos de

Aprovado pela Câmara, seguro obrigatório de veículos será debatido no Senado

Aprovado pela Câmara, seguro obrigatório de veículos será debatido no Senado

Aprovado pela Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei Complementar (PLP) 233/2023, que cria seguro obrigatório para cobrir danos pessoais causados por veículos automotores em vias terrestres ou por suas cargas,

Diário Oficial da União regulamenta Programa de EquipaDH+

Diário Oficial da União regulamenta Programa de EquipaDH+

O Diário Oficial da União da quinta-feira, 4 de abril, trouxe a publicação da Portaria 222/2024. A medida regulamenta o Programa de Equipagem, de Modernização da Infraestrutura e de Apoio ao

Prazo para disposição final ambientalmente adequada de rejeitos encerra em agosto; saiba mais informações sobre o tema

Prazo para disposição final ambientalmente adequada de rejeitos encerra em agosto; saiba mais informações sobre o tema

Termina no dia 2 de agosto deste ano o prazo de encerramento dos lixões para os Municípios com população inferior a 50 mil habitantes. Na prática, a legislação determina que

Marco regulatório do Sistema Nacional de Cultura é sancionado

Marco regulatório do Sistema Nacional de Cultura é sancionado

O Diário Oficial da União de sexta-feira, 5 de abril, trouxe a sanção da Lei 14.835/2024. Assinada pelo presidente da República, a medida institui o marco regulatório do Sistema Nacional de Cultura