Licitar

Generic selectors
Apenas correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors
post

Justiça condena cinco réus investigados em operação do Ministério Público por corrupção e fraude a licitação

Denúncia do MPF resultou na condenação de ex-prefeito do município de Entre Rios e funcionários de empresa de máquinas pesadas

Após denúncia do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça Federal em Santa Catarina condenou cinco homens acusados de compor um esquema criminoso de fraude à licitação e corrupção. Os sócios e empregados de uma empresa de venda de máquinas pesadas e um ex-prefeito do município de Entre Rios foram investigados na terceira fase da Operação Patrola. Os réus foram condenados a pena privativa de liberdade e ao pagamento de multa referente aos danos causados ao patrimônio público.

Conduzida pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) em 2016, a operação desbaratou esquema que envolvia fraudes em licitações de peças e serviços de manutenção e compras de máquinas pesadas em 39 municípios catarinenses. Segundo as investigações, a organização criminosa espalhada por todo o estado envolvia a participação de agentes públicos, empresários, seus funcionários, prefeitos e ex-prefeitos com o pagamento de propina e superfaturamento.

Os quatro funcionários da empresa foram sentenciados a 5 anos de detenção e 20 dias-multa no valor de quatro salários mínimos, com regime inicial semiaberto. Quanto aos réus que firmaram acordo de colaboração premiada, serão observados na execução das penas os limites máximos estabelecidos nos respectivos acordos.

Já o ex-prefeito, deverá cumprir pena privativa de liberdade de 6 anos, além de pagar 55 dias-multa no valor de dois salários. A Justiça Federal também fixou multa no valor de R$ 80 mil como mínimo para reparação do dano ao erário, corrigido monetariamente e acrescido de juros de mora da data do fato, pagos por todos os réus.

Entenda o caso – Segundo denúncia do MPF, após encontro com o representante da empresa envolvida, o ex-prefeito de Entre Rios deu início ao procedimento licitatório para aquisição de uma escavadeira hidráulica sob esteiras. No edital, as características do maquinário eram específicas da marca vendida pela empresa dos investigados. Assim, outras companhias não teriam chance de competir no pregão e a empresa dos criminosos seria vencedora com a venda do maquinário superfaturado.

No fim do processo, o município pagou R$ 380 mil pela escavadeira hidráulica. As investigações identificaram que a proposta da empresa vencedora era 5,5% maior que o preço médio da venda de equipamento similar a municípios de Santa Catarina e 21% superior ao preço médio da venda a particulares, no ano de 2012. Segundo o MPF, as negociações eram feitas de maneira pessoal e as vantagens ilícitas eram entregues em espécie para evitar o rastreamento pelas autoridades. Pela participação no esquema, o ex-prefeito de Entre Rios teria recebido o pagamento de R$ 25 mil.

*Com informações do MPSC

Fonte: PORTAL MPF

Comente o que achou:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas

Agricultores familiares de 322 Municípios receberão Garantia-Safra neste mês de abril

Agricultores familiares de 322 Municípios receberão Garantia-Safra neste mês de abril

Municípios dos Estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe foram contemplados com o Programa Garantia-Safra. Ao todo, 322 Entes locais

CGU apura desvio de recursos federais na prestação de serviços em Miguel Alves (PI)

CGU apura desvio de recursos federais na prestação de serviços em Miguel Alves (PI)

Operação 45 graus, com a Polícia Federal, investiga contratação de empresa de agente público do município para manutenção e conservação de ar-condicionado Controladoria-Geral da União (CGU) participa, nesta sexta-feira (19/04),

Atenção: prazo para envio da VTN se encerra dia 30 de abril

Atenção: prazo para envio da VTN se encerra dia 30 de abril

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) pede atenção aos gestores para a obrigatoriedade do envio das informações do Valor da Terra Nua (VTN) pelos Municípios, conforme a Instrução Normativa 1877/2019. O

CGU aplica sanções a envolvidos em negociação ilícita de registros sindicais no Ministério do Trabalho

CGU aplica sanções a envolvidos em negociação ilícita de registros sindicais no Ministério do Trabalho

Nove agentes públicos, à época altas autoridades dos quadros da Administração, receberam as penalidades de destituição do cargo que ocupavam e demissão Controladoria-Geral da União (CGU) aplicou sanções de destituição

Acordo de cooperação agiliza análise de editais de licitação pelo TCU

Acordo de cooperação agiliza análise de editais de licitação pelo TCU

Acesso a banco de dados do Ministério da Gestão e Inovação possibilita recorde de fiscalização e evita prejuízo potencial de R$ 670 milhões em 12 meses A parceria entre o Tribunal de

CNM alerta para mudanças no CBO de agentes comunitários de saúde

CNM alerta para mudanças no CBO de agentes comunitários de saúde

Nos últimos dias, a área técnica de Saúde da Confederação Nacional de Municípios (CNM) vem recebendo ligações a respeito de dúvidas por conta da Portaria 1.546 da Secretaria de Atenção Especializada à